Pessoas inventivas são capazes de produzir coisas novas e resolver problemas de maneiras inovadoras. No meio corporativo, os designers são os profissionais responsáveis por desenvolver elementos visuais seguindo a estratégia de branding de uma empresa e, para isso, seguem algumas etapas que formam o processo criativo.

As responsabilidades de um designer vão além de simplesmente desenhar ou editar imagens no computador, como imaginam muitas pessoas. O processo inclui estudos detalhados de mercado, da empresa e do público-alvo, além da aplicação de diversas regras de marketing e design, por exemplo.

Neste artigo, você vai conhecer as principais etapas do processo criativo de um designer e entender porque esse trabalho é tão valioso.

A importância da criatividade e da inovação

Não há uma fórmula que ensine uma pessoa a ser inventiva. O processo criativo, de modo geral, varia de acordo com cada profissional, e a habilidade de imaginar e produzir pode ser adquirida com o tempo, hábitos e experiência.

Em basicamente qualquer projeto, o profissional precisa incentivar sua criatividade e, para isso, foca nos problemas que precisa resolver. Ele busca descomplicar a situação para descobrir oportunidades de melhoria, enquanto pensa em alternativas e caminhos para explorar novas ideias sem perder o propósito do projeto. Essa é uma maneira de inovar.

Se você gerencia uma empresa e investe em marketing digital, já deve ter procurado o serviço de um designer ou de agências de marketing para criar seus banners, anúncios ou mesmo o logo da sua marca. Aliás, ainda que a sua empresa não esteja ativa online, é bem provável que você já tenha precisado de um serviço semelhante, como a criação de artes para panfletos.

É por causa da extensão do trabalho do designer que precisamos entender o quão estratégico é esse profissional, como ele se relaciona com as estratégias da empresa e porque é tão importante avaliar não somente o resultado final, mas o significado de cada elemento escolhido.

As etapas do processo criativo do designer

O design facilita a comunicação da empresa com o seu público-alvo. Por meio dos mais variados elementos visuais, é possível cativar os consumidores e criar identificação com a marca. A seguir, você vai conferir as principais etapas do processo criativo do designer, desde o planejamento até a utilização dos resultados na prática.

Briefing

O briefing é um documento que serve como guia para o trabalho do designer. Ele é enviado para o cliente antes do início das criações e consiste em uma lista com várias perguntas sobre a empresa, o mercado e público-alvo. As respostas dão um norte ao profissional para criar elementos que estejam de acordo com o posicionamento da empresa no mercado.

A etapa, que pode ser feita por e-mail, reunião ou mesmo em uma ligação, procura analisar o problema da empresa e seus objetivos para escolher, a partir de então, os melhores elementos gráficos na comunicação.

Brainstorming

O brainstorming é uma técnica realizada por um conjunto de profissionais, geralmente de diferentes departamentos e áreas de conhecimento. Nessas sessões, um líder anota e registra o máximo de ideias que surgem para um projeto e seleciona a que melhor atende o cliente e suas necessidades.

Elaboração de ideias

Antes de o designer começar a trabalhar na criação dos elementos, ele costuma rascunhar suas ideias para encontrar uma solução eficaz na comunicação da mensagem desejada. O resultado desse processo deve ser visualmente agradável e seguir as especificações detalhadas no briefing.

Edição e criação de imagens

Talvez a mais complexa das etapas, é nesse momento que o profissional cria, de fato, as artes previstas no projeto. Aqui, não se trata de simplesmente editar imagens ou criar ilustrações: é preciso escolher os elementos ideais para que a mensagem alcance as pessoas certas e para que a estética seja agradável.

As imagens devem seguir a identidade visual da empresa, que vai ajudar no posicionamento da marca no mercado. Consequentemente, isso irá levar à memorização por parte do consumidor, que se conectará com a marca por meio de sensações e sentimentos diversos.

O designer utiliza as informações do briefing, seu conhecimento de mercado e suas percepções para escolher os formatos, cores e fontes que mais tenham relação com a sua marca e que mais se comunicam com sua audiência. O vermelho, por exemplo, é uma cor que pode transmitir vigor e energia; já o azul está mais relacionado à confiança e modernização. Se esses são adjetivos da sua marca, esses tons poderiam ser facilmente utilizados.

Essas escolhas devem formar um padrão, geralmente registrados em um documento que é conhecido como manual de marca. Esse guia define os estilos de banners, panfletos, layouts de site e demais elementos da comunicação de uma empresa.

Versão final

Após estudos, aprovação dos rascunhos e criação das imagens, as versões finais das peças são enviadas ao cliente, que fica encarregado de aprovar ou solicitar edições. Em seguida, os resultados podem ser utilizados nos canais online da empresa ou enviadas para impressão. Neste último caso, é preciso informar o designer previamente para que o trabalho seja feito de acordo com as especificações da gráfica.

A importância de contratar designers especializados

Você provavelmente já entendeu que o trabalho do designer vai muito além da criação das imagens em si, não é? Afinal, para criar peças condizentes com a marca e seus objetivos, é preciso muito conhecimento técnico e estratégico, além de um detalhado estudo de mercado e diversas análises.

É por tudo isso que, na hora de elaborar qualquer ação de marketing, você deve contar com um profissional da área. Ele conhecerá as regras de design e saberá quais elementos de comunicação utilizar na sua estratégia, além de dominar as ferramentas de criação como Illustrator, CorelDraw e Photoshop, por exemplo.

Vale lembrar que, para que um projeto tenha embasamento e sucesso, é preciso conhecer a audiência e saber como se comunicar sem ruídos ou interferência. Também é importante seguir o padrão da identidade visual, que destaca a empresa entre seus concorrentes e facilita o reconhecimento de marca no mercado, contribuindo para o aumento das vendas, para a fidelização de clientes e para a promoção do crescimento da empresa.

Como você viu, um designer especializado tem mais condições de agregar valor ao material, pois atua como um intermediador entre o conceito da empresa e o resultado da comunicação, entregando um serviço mais completo e com maior qualidade.

Gostou de entender como funciona o processo criativo dos designers e sua importância para a estratégia de marketing das empresas? Então aproveite para compartilhar este artigo nas suas redes sociais e ajudar os colegas empreendedores!

HQT
Autor

Escreva um comentário

Share This