Ser bem-sucedido na carreira é o sonho de muitos brasileiros, seja por meio de uma promoção no trabalho, seja pelo empreendedorismo. Independentemente do caminho escolhido, ter uma marca pessoal forte é essencial para o sucesso e, portanto, entender e aplicar o conceito de personal branding é tão importante.

Essa expressão, que pode ser traduzida como gestão da marca pessoal, confunde algumas pessoas. Não se trata, apenas, de comunicar as suas habilidades, como se faz em campanhas de marketing. Personal branding é muito mais do que isso: é agir conforme valores e fazer as outras pessoas reconhecerem o grande profissional e ser humano que você é.

Antigamente, as opções para trabalharmos a nossa imagem eram limitadas ao dia a dia com familiares, colegas de trabalho, da academia e parceiros comerciais. Mas hoje, com a internet, há novas possibilidades. Um simples post nas redes sociais, por exemplo, contribui para a percepção que as pessoas têm de você e, portanto, para a criação da sua marca.

Em um cenário com meios de comunicação modernos, relações de trabalho mais flexíveis e novas gerações com fortes valores, é preciso desenvolver um bom trabalho de personal branding para ganhar mais influência no mercado. A seguir, confira as 7 dicas que compartilhamos para isso!

1. Crie a sua marca, mas seja você mesmo

É importante ser autêntico. Se você age de uma forma nas redes sociais e é uma pessoa completamente diferente na vida real, as pessoas vão notar isso, o que não é nada bom para a sua imagem como profissional. A sua marca pessoal deve ser uma caracterização daquilo que você realmente é, não um personagem falso.

O autoconhecimento, portanto, é um dos primeiros e mais importantes passos do personal branding. Entenda quem você é, suas habilidades, pontos fortes, valores e diferenciais. Saiba como contar a sua história com o tom de voz certo, na linguagem ideal e com o propósito de ajudar ou criar um vínculo com a sua audiência, desde que a sua marca pessoal esteja alinhada às suas atitudes.

2. Defina os seus objetivos com personal branding

Se você quer construir uma marca pessoal, isso quer dizer que certamente existe algum objetivo que deseja alcançar, certo? Suponhamos que a sua meta seja ser promovido para um cargo de diretor. É importante saber quais características esse profissional precisa ter e, com base nisso, tentar mostrar, por meio de suas atitudes, que você tem os valores e as habilidades necessárias.

3. Cause uma boa impressão

Seja nas redes sociais, seja presencialmente, cuidado com a impressão que as suas ações podem causar nas outras pessoas. No dia a dia de trabalho, reuniões, treinamentos e em eventos que participar, vista-se de uma forma que expresse a marca pessoal que está tentando construir. Se você almeja um cargo na direção, como o exemplo anterior, provavelmente roupas formais serão uma boa escolha em muitas ocasiões.

No entanto, isso não é tudo. As pessoas julgarão você pela maneira de falar, como se comporta nos ambientes, seus gestos, escolhas de palavras, aspectos de linguagem corporal e atividade nas redes sociais.

Não adianta criar estratégias de personal branding que o caracterizem como uma pessoa sociável, se você participa de eventos e não cumprimenta ninguém. Seja simpático e demonstre os seus valores, sem ser arrogante.

4. Use a internet para se estabelecer como uma referência

As suas publicações nas redes sociais contribuem muito para a construção da sua marca pessoal. De modo ideal, você deve agregar valor e atrair pessoas à sua rede de relacionamentos, principalmente se os seus objetivos com personal branding forem profissionais. Uma boa mídia para isso é o LinkedIn, plataforma na qual se pode fazer networking e trocar conhecimentos por meio de conteúdo.

Se, por outro lado, você quiser ser mais popular ou construir uma influência na internet para o público consumidor, o Instagram pode ser mais útil, já que é uma das redes mais utilizadas. Nessa mídia, no entanto, é preciso investir mais tempo na criação de imagens, vídeos e relacionamento com o público, por exemplo.

Antes de tudo, trabalhe na criação da sua marca pessoal e defina os seus objetivos, o que você quer que as pessoas pensem de você e em quais assuntos você quer ser uma autoridade, uma referência. Só depois disso será possível desenvolver boas estratégias de personal branding para cada mídia, de acordo com os formatos e tipos de conteúdos de melhor performance.

Outro recurso interessante para trabalhar a sua marca é investir na criação de um site pessoal, no qual você pode publicar o seu currículo, portfólio, biografia e conteúdos. Além de contribuir para suas estratégias e criar autoridade, facilitará que você seja encontrado por buscadores como o Google.

5. Evite vincular sua marca pessoal a uma empresa

Se você ocupa um cargo em uma empresa reconhecida no mercado, vincular a sua marca pessoal à da companhia pode parecer fascinante, mas isso não é recomendável. Se um dia você deixa a organização, suas estratégias de personal branding podem ser prejudicadas, depois de tanto tempo e trabalho para construir.

Seja uma referência na área em que atua e não somente por ter um cargo em determinada empresa. É claro que uma função importante pode ajudar você a criar autoridade, mas prefira que seu nome seja reconhecido pelo trabalho que você faz e pelo valor que gera.

6. Faça networking

A rede de relacionamentos é importante parte de uma estratégia de personal branding. Você deve se conectar e interagir com pessoas das áreas em que você tem interesse.

Eventos, cursos e grupos em redes sociais, como o LinkedIn, possibilitam esse engajamento, mas o mais importante é que você se aproxime e construa um network verdadeiro, significativo, que gere valor e não exista apenas por interesse.

7. Escute os outros

“Sua marca pessoal é o que as pessoas dizem sobre você quando você não está na sala”. A frase, já famosa, é de Jeff Bezos, fundador e presidente da Amazon.

Nem sempre os outros perceberão em você os valores desejados. O verdadeiro feedback do sucesso das suas estratégias de personal branding é a opinião do público. Não adianta se comunicar da maneira correta e falar sobre os seus propósitos se, por algum motivo, a audiência tiver outra percepção a seu respeito.

Por isso, além de refletir sobre o que as pessoas acham de você, é importante ouvir. Além de receber feedbacks espontâneos, vale a pena fazer uma pesquisa para saber como você é avaliado. É possível que alguns comentários não agradem, mas é importante considerar todos, afinal, pode ser o que grande parte do público, acha de você.

Se essas opiniões não estiverem de acordo com as suas estratégias, é preciso avaliar maneiras de mudar essa imagem. Esse é um dos motivos pelos quais o networking é tão importante.

É essencial notar que uma marca pessoal deve ser trabalhada e construída pensando no longo prazo, assim como os benefícios que serão colhidos com ela. Em apenas alguns minutos, você pode ter visibilidade na internet, mas o engajamento dessas ações não representa conquista de autoridade, credibilidade ou confiança.

Para ter uma boa reputação, você precisa se conhecer, entender os pilares do personal branding e achar maneiras de expressar seus valores e sua história por meio de suas atitudes e, assim, conquistar mais espaço no seu mercado.

Se você deseja se desenvolver profissionalmente, aproveite e confira o que a transformação digital exige dos novos líderes e se prepare para o futuro!

HQT
Autor

Escreva um comentário

Share This